back to Brazil page

 

Advogado Paulo Afonso Ribeiro Daher

 

 

Old Photos

Paulo Afonso Ribeiro - Photos: Jan 2003 - May 2003 - # Photos - Sep 2003 - Dec 2003

Paulo Afonso Ribeiro - Photos: Feb 2004 - 22 May 2004

Paulo Afonso Ribeiro - Photos: May 2005

Paulo Afonso Ribeiro - Photos: May 2006 - Oct 2006

Photos: Aug 2007

Photos: Mar 2008

Photos: 2009

Paulo Afonso Ribeiro Daher Homepage (Portuguese)

 

Minha Família

Meus avós Antonio José Daher e Maria Abrahão Abboud, ainda bastante jovens, tentaram emigrar de Kobayat, no Líbano, para a América do Norte, no começo do século XX.

Mas ao chegarem ao Porto de Marselha precisaram sair do cais pois seu filhinho Emil estava muito doente. Veio a falecer. Depois de sepultá-lo, voltaram ao cais e...o navio havia partido.

Sem dinheiro e sem mais nada, pois o navio levara tudo que tinham, meu avô trabalhou nas fornalhas de Marselha, jogando carvão ao fogo, até arrumar meios para retornar a Kobayat.

Mas o sonho de partirem para uma nova vida não havia acabado. Tão logo puderam ..reiniciaram viagem.Sei que ele deixou em Kobayat uma irmã de nome Sarah, filha do primeiro casamento de seus pai.

Agora vieram para a América do Sul, mais precisamente para o Brasil. Traziam consigo seus irmãos.

Ele trazia seus irmãos Elias e Abrahão. Ela , seus irmãos Jorge e Marta, que acabou ficando na França, onde ingressou na Ordem das Carmelitas.

Desembarcaram no Porto de Santos em 02 de novembro de 1912. e vieram para São Paulo, onde fixaram-se no Ipiranga, lugar onde nasceu Júlia, em 01/07/1914. Depois foram para a Senador Queiroz onde nasceu José, em 23/01/1917. Em seguida foram morar na Rua Barão Duprat, nas imediações da 25 de março, onde moraram num casarão coletivo.Alí nasceu Alfredo em 06/10/1919. Na Rua Florêncio de Abreu,nasceu Adélia, em 21/11/1921.

Foram para Jacareí pela primeira vez em 1923, tendo residido no bairro do São João.

Foram para Jambeiro onde ficaram 2 meses.

Chegaram em Caçapava em 1923, na Rua 14 de abril, onde abriram um armazém. Alí nasceram a Olga em 26/01/1924, a Geni em 22/08/1928,o Jorge em 03/04/1926, o Amílcar em 07/01/1932 e a Nilza em 27/02/1930. pelas mãos de uma parteira chamada Mariquinha Lora, parente de Dona Yolanda Chieffi.Em 1932, durante a Revolução Constitucionalista , vovô era guarda linha.

Por conselho do pai de Rafael Baldacci que era banqueiro na época que o aconselhou a mudar-se de Caçapava, resolveram ir para Paraibuna, onde chegaram em 15 de agosto de 1932.Foram apresentados na cidade por Nicanor Tobias que era Prefeito da cidade na época. Montaram uma loja no Largo do Mercado. Depois, em 1939 compraram a casa da Rua Coronel Camargo nº 139 onde montaram a loja deles.Ali nasceram Diva em 03/07/1934 e Lélis em 18/08/1937. No desejo de estudar os seus filhos em curso mais avançados compraram uma loja em Jacareí na Rua Dr. Lúcio Malta nº 404.

Em 15 de agosto de 1947 vieram para Jacareí a vovó, tio Jorge, para ajudá-la, e tia Geni, tia Nilza e tio Amílcar para estudarem, elas, a Escola Normal, e ele, o Curso de Contabilidade. Ficaram em Paraibuna, o vovô, com as tias Olga, Diva e Lélis.

Esta transição durou mais ou menos 4 meses.

Em 1949 o vovô passou a loja de Paraibuna para o tio Jorge que acabara de casar-se.E, em Jacareí fixaram de vez a sua residência até o final de suas vidas e onde fixaram-se também a maioria de seus filhos.
Trabalharam duro no começo de vida no Brasil. Em condições difíceis e sem nenhum conforto material, lutaram pela busca de um rumo para suas vidas.

Primeiro Caçapava, onde nasceram seus filhos Olga,Jorge, Amílcar e Ilza.Depois Paraibuna onde nasceram Diva e Lélis, e finalmente Jacareí, onde chegaram em 1948, buscando meios de educar os seus filhos.

O sonho de uma vida nova, mais promissora, numa terra onde pudessem ter e criar os seus filhos com dignidade e amor realizou-se.

Hoje somos uma família enorme que atua nos mais diferentes setores da atividade socio-política e econômica do país, e temos orgulho em dizer que somos descendentes de dois jovens sonhadores que um dia....partiram da longínqua Kobayat em busca de melhores dias para eles e para a família que começavam a construir.

O sonho e a esperança foram os motivos maiores de suas lutas e batalhas na edificação de nossa família no Brasil.

Lembro-me muito bem de meu avô. O seu amor à terra que os recebeu era tão grande que no fundo ele se considerava um brasileiro autêntico.

Hoje , depois de um século, nós, seus descendentes podemos afirmar com convição que os dois foram vitoriosos em seu projeto de vida e ofereceram para a sociedade brasileira, homens de bem, que hoje ajudam na construção de um país mais justo, mais humano e cristão.

Tenho muito orgulho de ser um descendente do glorioso país do cedro, que bravamente vem resistindo no decorrer da história , apesar de ser pequenino no oriente.Mas é grande no caráter de seu povo.

Durante alguns anos mantive contato com um filho de um primo de meu pai, José Aboudd. Seu nome é Farid Aboud e trabalhava na guarda presidencial do Palácio de Bahabdah, em Beirute. Gostaria de ter notícias dele.Hoje deve ter uns 42 anos.

Tiveram 11 filhos:

1. Júlia (Xaide)Daher Roberto (falecida)

2. José Moisés Daher (falecido)

3. Alfredo Daher (falecido)

4. Adélia Daher Felipe)(falecida)

5. Olga Daher Moisés.(Caçapava)

6. Jorge Daher ( falecido)

7. Estelita Daher Farat (Geni)

8. Ilza José Esper (Nilza)(Jacareí)

9. Amílcar Daher (Jacareí)

10. Diva Daher de Barros (Queluz)

11. João Moisés Daher- (Lélis)(Pindamonhangaba)

Genros e noras


1. Vitorino Roberto ( falecido)

2. Luiza de Melo Daher 86 anos.( Paraibuna)

3. Maria Augusta Ribeiro Daher (falecida)

4. Antonio Felipe (falecido)

5. Antonio Moisés (falecido)

6. José Farat (falecido)

7. Eliza Abrahão Daher(falecida)

8. Moisés Esper (falecido)

9. Maria Aparecida José Daher(falecida)

10. José Cândido de Barros (Queluz)

11. Maria do Carmo Guardia Daher (Jacareí)

Entre netos, bisnetos e tataranetos a família hoje já beira o número de 300 descendentes.

Apenas a título de curiosidade, já que seria impossível relacionar todos, vai aqui alguns netos de meus avós.Sônia,Elsie, Toninho,Mário, Paulo,José Ivens,Isa, Régis,Sheila,Sérgio,Sidnei, Suelí,Aparecida,Érix, Jefferson,Zézinho, Fábio,Dayse,Luiz, Eduardo, Carlos Alberto,Leonardo,Carlinhos, Carlos,Jorginho,Willian, Alfredo jr. Jr.

BISNETOS

Juliana, Paula, Paulinho, Lívia, Aline, Márinho, Fábio, Fernando, Flávio, Patrícia, Mônica, Ana Paula, Sílvia, Fábio, Sarah, Zézinho, Fábio, Giuliano, Larissa, Marco, Kelly, Elaine, Lenise, Lílian(Suelí), Lílian(Willian), Vitinho, Andréia, Dulcilene, Caroline, Lílian, Danilo Augusto, Flávia, Sidney(Boy), Serginho, Fernando Luiz, Samir.Avisem-me sobre as possíveis omissões para que possa fazer a atualização dos netos, bisnetos e tataranetos.

TATARANETOS.

Nícholas, Maria Regina, Henrique, Charbel, Júlia, Pedro, Isabela, Matheus, Thiago, Michèle, Henrique, Gustavo, Marcelo, Marcos,Elaine, Ariane,Vítor Augusto, Guilherme, Felipe, Karina, Erix, Giovanna,  Vinicius, Bruna, Gabriel, Juliana.

Nota: Solicitamos que escrevam-nos para atualizarmos os nomes dos bisnetos e tataranetos já que não temos dados para tanto.

A família cresceu muito. Hoje já não temos mais o controle de 15 anos atrás.Muitos seguiram rumos diferentes e não têm convivência conosco. Sabemos de todos. Temos um controle de todos os membros da família.

O fato é que atualmente, nos restringimos a viver unidos, apenas, os mais velhos e os mais unidos pelos laços fortes de sangue que nos une.

Mas o balanço final é positivo. Somos uma família que se conhece, apesar de não convivermos muito unidos.

Os exemplos de nossos avós Antonio e Maria ficaram.

Graças a Deus, são todos, seres honrados, trabalhadores, e que , cada um em seu trabalho diário, ajudam na construção de um Brasil melhor.A família tem sua base em Jacareí.

Mas há familiares em Caçapava,Taubaté, São José dos Campos, Queluz,Paraibuna e Vitória, Espírito Santo.

Os descendentes de meus avós Antonio José e Maria hoje exercem as mais diferentes atividades profissionais nos diferentes setores da sociedade brasileira.

Há comerciantes, empresários, médicos, advogados, executivos em multinacionais,educadores, empresários da educação, enfim as atividades que no início da vida no Brasil era apenas o comércio, hoje diversificou-se nos diversos setores da atividade econômica e social.

Como é gratificante narrar a saga de dois jovens que um dia resolveram aventurar-se pelo mundo com o ideal de contruir uma vida melhor para si e para seus descendentes.

Seus ideais de vida foram alcançados plenamente. Criaram seus filhos na mais rígida maneira árabe e cresceram pessoas dígnas de respeito que constituíram família íntegras e honradas que hoje já estão na 5ª geração de descendência.

Integrados completamente aos padrões de vida do brasileiro nato, expandiram seus círculos de relacionamento e sempre cultivaram em seus filhos o respeito à terra que um dia os recebeu de braços abertos.

Hoje são todos brasileiro completamente integrados à vida social e intelectual do país, guardando apenas o respeito e orgulho das origens de seus ancestrais.Caso deseje um bom entretenimento com coisas do Líbano acesse:[link]www.libanoshow.com.br[/link]e para saber da nossa cidade no Líbano digite www.kobayat.org (Nossa página está linkada a esta home page acima citada e temos contato permanente com a cidade de nossos avós.Ainda agora, dia 14 de setembro faleceu José Abboud, irmão de Elie Abboud e fomos avisados imediatamente.Isto significa que conseguimos reatar vínculos até a cidade natal de nossa família no Líbano,graças a Deus! Este é o resgate de nossa história familiar que deixaremos para as gerações futuras.Hoje somos uma família de imigrantes coma sua história totalmente resgatada.Tudo isto em memória dos queridos vovô Antonio e vovó Maria, nossos queridos ancestrais neste Brasil querido.


Meus amigos

Tenho muitos amigos em minha vida.

Mas não poderia começar a falar deles sem antes referir-me a uma família muito importante em minha vida. São os Tonetto.

Que saudade do Sr. José Tonetto e da Dona Benvinda Redivo Tonetto, pessoas que foram meus segundos pais e por quem , sempre nutrí o meu maior amor nesta vida.

São seus filhos: Juarez (falecido), José Dálvio, Délcio, Nenê, Jéseo, Carlinhos e Sandra.

Dona Benvinda era filha de Domingos Redivo e Margarida Redivo que residiam no Km 7 da estrada da Vila Emília. Lugar onde passei grande parte de minha infância e onde aprendi a amar e a ter contato coma natureza e aprender os fundamentos da agricultura.

Hoje lá estão os netos e bisnetos deles na direção da fazenda. O Tio José já faleceu. Resta a Durvalina, O Luciano e a Maria e seus filhos, noras e netos e bisnetos.

Minha esposa é de Presidente Bernardes, cidade onde eu passei a minha infância.

Ela é da família FRANZINI. Seus avós Carlos Franzini e Maria Biaggio (Biazz) vieram da Itália, de Pádua, no começo do século. Fixaram-se em Cedral,interior de São Paulo.

Mais tarde, foram para Presidente Bernardes, onde ele finalmente conseguiu comprar as suas terras e ser um produtor de café e mais tarde de gado.

Meu sogro chamava-se Nelson Franzini e era casado com Júlia Fernandes Franzini, filha de Manoel Fernandes(Português) e Dolores Cuerda (espanhola)

Em minha vida no magistério encontrei grandes amigos pelos quais nutro uma amizade eterna. São tantos que seria leviano citar alguns e me esquecer de outros. Mas não poderia mencionar alguns que foram muito importantes em minha vida.

Dona Nilva Lima de Castro Tannus, atualmente residindo em Araçatuba, meu grande modelo de educadora- dirigente.Com ela e com meu pai, aprendi a ser um educador-dirigente.

Lineu e Cláudio, meus companheiros de luta em Guararema e amigos de verdade!

Zapilli, Dona Mirian,Seu Josias, América, Dona Iracema,Rosa,Lippi,Sílvio Secco, Dona Alba, Professor Joaquim, e muitos outros que guardo em minha memória e em meu coração. Muitos já partiram dessa vida. Mas ficaram os seus exemplos de vida.

Madre Felici e Padre Eduardo,fundadores da Congregação das Irmãs Mensageiras do Amor Divino, Irmã Vicentina, Irmãs Carmelitas da Iugoslávia, principalmente Irmã Celestina, criatura iluminada que hoje trabalha na evangelização na Finlândia.

Meu querido amigo João Batista Giffoni Vieira, companheiro nos trabalhos de retiros e um testemunho vivo da fé cristã. Amigo de todas as horas.

Minhas amigas Andréia e Rose Dugan que com o passar dos anos só souberam me provar que a amizade é como o vinho, quanto mais velho, melhor.

Acredito muito na amizade verdadeira. Elas não são muitas na vida da gente. Mas as que a gente tem são suficientes para se afirmar que podemos acreditar na bondade humana.

Apesar de ser um a pessoa essencialmente voltada para a família e para os valores nela contidos, não posso deixar de admitir que a amizade é um bem muito precioso na vida e que devemos preservar como uma jóia rara.

Em minha carreira no magistério estive em Guararema,Mogi das Cruzes, São José dos Campos,Santa Branca, Presidente Bernardes e Jacareí.

Se algum amigo, colega, ex aluno ou conhecido passar por aqui por favor deixe uma mensagem em meu livro de visitas.

Tive um grande amigo que não está mais entre nós faz 06 anos. Graças a ele e ao seu incentivo moral, não abandonei meus estudos superiores. Chamava-se Edson e para mim foi muito mais que um irmão. Foi antes de tudo um amigo verdadeiro. Para ele, no dia de hoje, minha saudade e minhas orações.Sua vida foi muito bonita por tudo e tanto que fez por tanta gente. Descanse em paz.

Meu pai começou sua vida profissional em Paraibuna, como alfaiate. Mas era ambicioso.Estudou sozinho e foi prestar exames de Madureza em Jacarezinho, no Paraná, em 1949. Foi o primeiro de apenas dois aprovados. Com o diploma do curso ginasial, mudou-se para Jacareí, para lá fazer a Escola Normal e o Curso de Contabilidade à noite. E ainda trabalhava duro na máquina de costura para manter seus 5 filhos.

Formou-se professor primário em 1952, em Presidente Prudente, pois em 1951, passou no Concurso de Agente de Estatística do IBGE e foi trabalhar em Pirapozinho, que ficava perto de Prudente, onde poderia se formar.Foi muito feliz naquela cidade, amigo íntimo do Dr. Plauto Barreto que ele ajudou a eleger-se Prefeito Municipal, já que era um grande tribuno e de grande eloqüência em seus discursos.

Mas ganhou um prêmio na KOSMOS Capitalização, que por ter sido sorteado em dezembro recebeu o dobro.

Diante da solução de seus problemas financeiros, resolveu voltar para Jacarei, para fazer carreira no magistério paulista, estudando para prestar o Concurso de Professor Secundário de Trabalhos Manuais, e marcar pontos para ingressar como Professor Primário.

Nesse meio tempo trabalhou no antigo Departamento de Educação, na Capital e marcou pontos como substituto em Bom Sucesso

Veio de volta para Jacareí, e prestou Concursos para Professor Primário e Secundário , em Trabalhos Manuais. Aprovado, escolheu Presidente Bernardes,pelo fato de ser o local onde poderia acumular os dois cargos pela existência de vagas, e para onde mudamos em 1955.

Ele foi na frente, para não prejudicar os nossos estudos , e ficou hospedado na pensão da Dona Angelina, mãe do professor Anacleto, até o final do ano, quando levou a família

A nossa primeira casa era do "Seu" Militão que era um espanhol que tinha um açougue na Vila São Vicente.

Logo depois comprou a casa do Manoel Pardo e a reformou completamente a seu gosto.

Foi ali que encontrei a minha esposa e a mãe de meus filhos: Zuleide.

Viemos de volta para Jacareí, no começo da década de 1960, em busca de estudos para todos, já que lá em Bernardes não havia nem curso colegial.

Mas nunca perdi minhas amizades e sempre voltei nas férias, na casa da querida Dona Benvinda e do Seu José Tonetto.

Namorei a Zuleide, nos casamos em 05 de julho de 1970 e continuamos até hoje, ligados fortemente à cidade.

Apesar de seus pais já serem falecidos e ser filha única, há fortes laços familiares com seus parentes do lado materno, sem dizer que a terra que a viu nascer serve de lugar onde seus pais estão sepultados.

A Escola da Vila Nova recebeu o nome de minha sogra: EEPG " Júlia Fernandes Franzini". Foi uma bonita homenagem para quem dedicou-se tanto ao seu mister.

Presidente Bernardes ocupa tanto em meu como no coração da Zuleide, um lugar especial, estejamos onde estivermos. Será sempre a nossa cidade querida e nunca esquecida.

Atualmente, tem sua vida quotidiana alterada, com a construção do Presídio de Segurança Máxima, que trouxe para a cidade parentes dos piores bandidos do país que fora removidos para lá, pela qualidade da prisão, ora construida. Com isso, perdeu um pouco de sua paz habitual.

Mesmo os nossos amigos contemporâneos, ou mudaram-se ou faleceram.

Com tudo isso, muito do interesse que o convívio constante deixou de ser o mesmo de muitos anos atrás.

Nem por isso deixamos de amar a querida terra que nos viu crescer e que temos com tanto carinho em nossos corações.

A Zuleide continuou viajando para lá permanentemente, pois nunca deixou de visitar a sua querida prima Mara, nos momentos da doença.

Agora, com o seu falecimento, é bem capaz que reduza as suas viagens, ao dia de Finados, para visitar o túmulo de seus pais, naquela cidade.

Bem claro que jamais deixará sua querida tia Isabel sem visitas periódicas, pois agora, mais do que nunca, tem necessidade de muito amor e companhia.

ALGUMAS LEMBRANÇAS DA BERNARDES DA DÉCADA DE 50.

O Ginásio Estadual Sylas Gedeão Coutinho era localizado, onde hoje é o Clube da cidade, a Associação Bernardense, no Centro da cidade.Sylas Gedeão Coutinho foi Professor de meu pai no Instituto "Fernando Costa", em Presidente Prudente.Era o paraninfo da turma e faleceu pouco antes da colação de grau, vitimado por uma leucemia fulminante, ainda bem jovem.

Onde hoje é a sede doa Associação Bernardense. era apenas o Campo de futebol, e era bem longe da cidade, pois alí era uma parte da Fazenda do Ramos.

A Vila São Vicente não tinha rede de esgoto até 1956, ano em que foi realizada esta obra na cidade. Mas foi alí que passei minha infância. Nossa casa era uma chácara.

Na mesma rua moravam o Antonio Luciano, O Dálvio, Juarez e irmãos,João e José da Dona Nazaré Gonçalves,Dayse, Cleide,Tieko Uemura e mais acima Laura Sanches, Baiana, e vários de nossos amigos da época.

Era ali também que funcionava a Escola Japonesa, na Rua São Paulo.

Havia uma grande área de mata que era chamada de "TENENTE". Local de nossas brincadeiras e pavor de nossos pais que não gostavam de saber que brincávamos ali.

Bernardes teve uma piscina,na década de 50, no final da Vila São Vicente, que foi fechada e aterrada depois de um acidente de afogamento.

O local de encontro dos casais de namorados era o bar do Elpídio, em frente a Bernardense, num reservado.

As classes do Ginásio não eram mistas. Eram masculinas e femininas. Muito engraçado para os tempos atuais.

Alguns professores da época: Dona Estela Cãmara Leal Tostes, Seu Daniel de Oliveira, Dona Cilene Marangoni, Dona Maria José Louzada Barreto,Prof.Alfredo Daher ( meu pai),Dona Neuza,Seu João dos Santos (messier), Prof. Anacleto,Dona Santa Santos Cruz, Dona Vera, Prof. Paulo Afonso,O terrível Professor Roma , de triste memória para todos nós,Seu Daniel de Oliveira, Dona Dina (inspetora de alunos, juntamente com o Seu Américo)e Dona Aparecida Pesente Gesse.

O Grupo Escolar "Alfredo Westin Junior"era na Praça da Igreja Matriz da cidade.

A princípio seu nome era Paulo Soares Hungria, mas o nome foi para a escola do Araxans e o da cidade recebeu o novo nome.

ALGUNS PREFEITOS DA CIDADE.

Leonildo Denari.

Leonildo Denari Filho.

Armênio Westin.

Trajano da Silva Pontes.

O zelador do Campo de Futebol da Bernardense era o seu Izidoro,grande massagista na época na cidade , marido da Querida e inesquecível Dona Noêmia, que tanto bem espalhou pela cidade, pelos seus gestos de amor e caridade e pelos seus dons mediúnicos, à frente do Centro Espírita que amava tanto.

Que saudades da Fábrica de bebidas do Bremer. A sua sodinha... nunca mais foi encontrada alguma coisa semelhante.

A loja do Senhor Tebet Jacob.O armazém de ferragens dos irmãos Jacob.As lojas da cidade eram muito frequentadas, pois o comércio era forte.

Karazawa, Espolador, Casa das Máquinas, do saudoso Seu Wilson de Alencar,A 'Lojinha" do Seu Elias, A papelaria do Seu Abdo, A loja do Seu Tanuzinho.

O Curso preparatório de Admissão ao Ginásio era da Dona Eliza Ayer de Oliveira, esposa do Seu Daniel de Oliveira.

Para o primeiro aluno da 3ª série do Ginásio era entregue todo ano "uma chave", que simbolizava o prêmio pelo seu desempenho,e era feita a entrega no dia da formatura dos alunos da 4ª série ginasial.

Na Vila Emília havia um Seminário dirigido pelos Padres da Congregação do Espírito Santo, de origem alemã, e onde estudavam muitos meninos de Bernardes.

Eu estudei lá, mas sinceramente, não tenho boas lembranças, pelo rigor com que éramos tratados, às vezes punidos até injustamente.

O Diretor era o Padre Cornélio e havia o Padre Adolfo Emerich, que era Vigário em Bernardes, Padre Adolfinho, Padre Roberto, o motorista e fotógrafo,Padre Afonso,(meu grande orientador de estudos),Irmão Roberto.

Na Vila Emília , meu pai começou sua vida no magistério primário, que acumulava com o cargo de Professor de Trabalhos Manuais, no Ginásio de Bernardes. Havia algumas famílias na Vila que eram muito amigas de meu pai. A família Martins, que tinha à frente o Senhor Olímpio Martins, O Senhor Chaguri e muitos outros.

Mais tarde ele removeu-se para o Araxans, pois era a metade do caminho, no KM 10. Ali tornou-se grande amigo do Senhor Fiorezzi, que era pai do Osmer e da Inês, nossos amigos de Ginásio.

Que saudades do Dr. Guerra e de sua família. O Jofre, o Pedro Paulo,o Onofre e a Mara, e a querida Dona Nina.

Ele era defensor de uma ideologia política, proibida no país, naquela época, o comunismo, e sofreu muito por isso. Esteve preso por diversas ocasiões.

O farmacêutico respeitado na cidade era o Senhor Antonio Bonini, com quem tive a felicidade de conviver por muitos anos, pelos laços de parentesco com minha esposa.

Ao seu lado também exerceram a profissão,Seu Zéca Bonini e o Seu Trajano da Silva Pontes.

Havia dois cinemas na cidade: o Cine Ipiranga, da família Galego e o Cine Universo.O bar do Denadai, onde depois foi por muitos anos o bar do André.

E as quermesses aos sábados, no páteo do antigo Ginásio, ao lado da Bernardense.Meu namoro começou ali.Os bailes na Bernardense. E as famosas brigas entre o Valdir e o José Carlos.Eram pior que um furacão , pelos danos que causavam.Quantas recordações!O modernismo trouxe muitas mudanças nos hábitos dos oradores da cidade.

Hoje é comum viajar para Presidente Prudente para frequentar Shopping center, compras em grandes redes de super mercados, médicos, hospitais,universidade,passeios, restaurantes,enfim, a cidade vive, em função da vizinha que é maior e oferece muito conforto e diversão.

Em nosso tempo, nada disso acontecia. Tudo acontecia, na cidade.

Hoje até um Colégio particular existe na cidade.O Objetivo é uma opção para os pais que desejam um ensino de maior profundidade para seus filhos.

Visitei um Site de um provedor local de Bernardes.Gostei muito das fotos antigas e novas.Quantas lembranças.

A Diretora da Escola que leva o nome de minha sogra em Bernardes: EEPG" Dona Júlia Fernandes Franzini" entrando em contato conosco, solicitando uma biografia de Dona Julia, para ser passada aos alunos da escola, para que conheçam a vida de sua Patrona. Num gesto gentil, ligou-nos agradecendo o envio da mesma.

Queremos agradecer aos muitos amigos e conhecidos que visitaram até hoje a nossa página e que enriqueceram muito as nossas pesquisas com as suas preciosas informações sobre a família Daher. E para todos aqueles que vierem a nos visitar as nossas boas vindas e que tenham aqui, momentos de informação e satisfação.

Eu convido você a visitar o Site de Kobayat, nossa cidade, no Norte do Líbano. Para isto clique em LÍBANO, no alto da página. Depois de entrar no site, clique em EXPATRIATE, BRASIL, e vai encontrar muita coisa nossa ali.Procure tembém entrar em FAVORITES.Há uam relação das principais cidades do Líbano, com fotos e outras informações.Bom divertimento.HÁ FOTOS DO CHARBEL E DA FAMÍLIA COMO NOVIDADE.CLIQUE PARA VER.

Mantive contato com a família DAHER pelo ramo do tio Abrahão Daher. Falei com a Sônia, filha da Amélia e neta do Tio Abrahão. Fiquei sabendo muitas notícias

A Tia Zaquie faleceu há mais ou menos 16 anos. Na mesma época também faleceu o Jamil que era o que mais convivia com a nossa família nos últimos tempos.Conversei também com o Bruno, neto da Sônia que tem 16 anos e vem a ser bisneto do tio Abrahão.O Tufick residente em Niterói tem três filhos.Teófilo Filho, casado, com 40 anos, tem uma filha de 16 anos

Andréa, 39 anos, advogada, trabalha no Tribunal de Justiça, e Alexandre, de 29 anos

Falei também com a Maria e com seu filho Sérgio. Eles residem na Penha, em São Paulo.

Tivemos também notícias da Nazira.

Este primo era o mais querido do tio Amílcar. Nunca deixou de visitar meus avós, e só deixou de fazê-lo ao falecer.

Com isto estamos com notícias agora de todos da família DAHER. Os três irmãos que chegaram juntos ao Brasil no começo do século passado.

ANTONIO JOSÉ DAHER/JACAREÍ/SP

ABRAHÃO DAHER-SÃO PAULO/CAPITAL

ELIAS DAHER- MORRETES/PARANÁ

Agora precisamos começar a catalogar os membros da descendência dos irmãos de meu avô Antonio.

Já tenho em meu Banco de dados, muita informação sobre , o ramo do tio Elias e do tio Abrahão

O núcleo central da família encontra-se perfeitamente delineado. Graças a Deus, fomos vitoriosos em uma empreitada de porte.E por conta do destino, tivemos em mãos , informaçoes muito importantes que vieram enriquecer a nossa página.

Minha próxima meta é saber qual o grau de parentesco de nossa família, com este contingente muito grande de DAHER que há no Brasil. Certamente deve haver algum elo a nos unir, desde o Líbano. Mas é um trabalho lento e que certamente, vai demandar muito esforço.

Você que visita agora a página da Família Daher queira aceitar os meus agradecimento pela sua passagem por aqui.

Por favor, registre a sua visita em meu "LIVRO DE VISITAS". Clique no final da página, ao lado esquerdo, perto do contador de visitas e registre a sua passagem. É muito importante para mim.

Não se esqueça de SALVAR após fazer o seu registro. Tão logo eu libere estará disponível a sua mensagem.

Estamos com links novos para o Líbano, num site católico muito bonito e rico em informações.

Há também o Link para a Canção Nova, do Padre Jonas Abib, com uma riqueza muito grande de informações e de espiritualidade.

Nos últimos tempos dediquei-me à pesquisa dos filhos do Tio Abrahão e tia Zaquie para completar o conhecimento da família Daher no Brasil.

Fui bem sucedido em minha busca. Já conversei com o Tufick, com a Maria, com a Sônia, filha da Amélia.Com as filhas do Jamil Sueli e Rosângela. Enfim tive uma noção de todos e de seus decendentes.Fiquei muito contente, já que era o tronco de quem tínhamos menos informações, nos últimos anos, muito embora tenha sido os primos de meu pai que mais frequentaram a casa de meus avós durante todos estes anos. Mas com o passar do tempo, fomos perdendo contato. Agora, precisamos fomentar mais o convívio de todos, já que formamos uma grande família no Brasil.

Temos um velho sonho que um dia pode tornar-se realidade. Fazer um Encontro de todos os Daher de nossa família, em um clube, para um dia de confraternização, com direito a fotos para marcar o evento.

Já temos o principal que é o endereço de todos.

Agora é partir para a realização deste sonho.

Até há algum tempo atrás, quem diria que poderia unir todos os elos da cadeia de parentesco que temos no Brasi.

Parecia um sonho impossível de ser realizado.Nunca desanimei de meus propósitos , mas tinha consciência de que seria um trabalho nada fácil

E hoje ...vejam só. Temos notícias de todos os filhos descendência dos dois irmãos do vovô Antonio

Podemos afirmar com toda a convição que nossa família no Brasil foi inteiramente localizada

Onde estiverem neste momento, certamente, o vovô Antonio, Tio Elias e Tio Abrahão devem estar felizes em saber que suas famílias se reencontraram e que os laços de sangue que nos unem serão a partir de agora, cada vez mais, fortalecidos.
Sinto que a maioria dos que se encontraram a partir desta modesta página na internet, emocionaram-se pela força do reencontro com as suas raízes mais profundas que vêm a ser os seus´parentes que formam a grande família DAHER no Brasil do século XXI.

Em menos de 100 anos nossos avos deixaram marcas indeléveis de suas vidas, na sociedade brasileira.

muitos Daher no Brasil. Talvez até venham a ser nossos parentes, desde o Líbano.

Mas os três irmãos que emigraram para o Brasil foram apenas o meu avô Antonio, e seus irmão Elias e Abrahão.Todos devidamente identificados nesta página, finalmente, nas pessoas de seus filhos netos,bisnetos e tataranetos

Quero deixar aqui registrado, um apelo a todos aqueles do Líbano que vierem a acessar esta página e que conheçam as familias DAHER e ABBOUD em Kobayat, Líbano, que me escrevam, para nos dar maiores informações destas duas famílias nos dias atuais, naquela cidade libanesa.

No ano de 2005 pretendemos realizar um Encontro dos DAHER residentes no Brasil, para uma grande festa de confraternização.Será uma oportunidade única de encontrar os laços que unem esta grande família e os que possuem este sobrenome e oriundos do Líbano.

Estaremos rebendo adesões para termos uma idéia de quantas pessoas viriam a uma festa como esta.Será num domingo, numa chácara, em Taubaté, Vale do Paraíba, Estado de São Paulo e vamos disponibilizar alojamentos para aqueles que desejarem pernoite, almoço, missa, fotografis, enfim um dia para ficar na lembrança de todos.

Se a experiência der certo, o encontro vai tornar-se uma rotina todos os anos.

Gostaríamos de deixar bem claro, diante das consultas que temops recebido que o Encontro é destinado a todos aqueles que têm o sobrenome DAHER independente dos laços de parentesco de uns com os outros.

A finalidade é única e tão somente congregar todos aqueles que tiveram a felicidade de nascer com este sobrenome.

O objetivo maior do encontro é o congraçamento e quem sabe ...encontrar pontos de parentesco entre os participantes. E-Mail: pauloafonsodaher@ig.com.br Pretendemos montar uma árvore genealógica em tamanho natural, e cada família poderá ir colocando a sua origem no quadro para ao final, sabermos o conjunto das famílias que constrõem a família DAHER no Brasil.Caso alguém deseje falar comigo eu tenho o SKYPE: franzinidaher. e o MSN: franzinidaher@hotmail.com

 

back to Brazil page